Com uma estimativa de receber mais de 15 milhões de foliões, a cidade de São Paulo junto à Camerite executou uma ação inédita no Carnaval deste ano.

Cinquenta drones e outras diversas câmeras de segurança com o sistema de reconhecimento facial Camerite acompanharam os principais blocos que circulavam no feriado.

“Os drones serão os grandes agentes propulsores da fiscalização eletrônica. Eles têm a capacidade de fazer a identificação facial remetendo isso ao centro de identificação facial da polícia civil. E em menos de cinco segundos a identificação é feita.”

João Doria
Governador do Estado de São Paulo em entrevista ao Estadão.

Diferente do sistema anterior que funcionava offline e dependia da comparação de fotos retiradas do vídeo, o reconhecimento facial Camerite entrega em tempo real todas as leituras e alertas gerados pelo recurso.

Em São Paulo, nosso reconhecimento facial estava conectado a uma base de fotos com mais de 30 milhões de rostos, dos quais 38.600 mil eram de suspeitos de crimes, foragidos e pessoas desaparecidas.

endeavor

Durante todo o feriado mais de 160 mil rostos foram identificados e mais de 800 alertas de suspeitos foram emitidos.

Quando um possível suspeito era identificado, todas as informações eram recebidas diretamente na Central da Polícia Civil, onde um agente analisava as imagens para confirmar se de fato correspondiam a pessoa procurada pela justiça.

Depois da ação bem sucedida no carnaval, a expectativa é otimizar a operação para eventos semelhantes.

“Esse sistema irá funcionar em outros eventos e situações onde houver aglomerado de pessoas”

Caetano Paulo Filho
Dir. do Depto. de Inteligência da Polícia Civil ao Portal G1.

Um dos principais diferenciais do sistema de reconhecimento facial Camerite é que ele não demanda uma infraestrutura complexa, como em outros serviços do gênero.

O que fazemos é adicionar inteligência às câmeras de segurança comuns, tornando muito mais simples a implantação desse tipo de recurso em ampla escala nos municípios.

Em Palotina no Paraná por exemplo, de 420 câmeras conectadas à Camerite, 25 possuem recursos para leitura de placas, o que em um cenário tradicional seria praticamente impossível.

Antes da Camerite, as forças de segurança não contavam com nenhuma câmera na cidade, agora, Palotina é a cidade mais monitorada da América Latina, com uma câmera para cada 66 habitantes.

“Desde o momento em que nós instalamos essa plataforma os índices de criminalidade não caíram, eles despencaram. Agora as polícias militar, civil e federal podem monitorar instantaneamente cada uma dessas 420 câmeras.”

Jucenir Stentzler
Prefeito da cidade de Palotina/PR

A ação em São Paulo abre um leque de novas possibilidades para a segurança pública no Brasil.

Com ações como essa, colocamos em prática o nosso propósito de transformar cidades em cidades + inteligentes e seguras através da tecnologia.

Escrito por Camerite

Acreditamos que a tecnologia vai revolucionar o mundo, e através dela adicionamos inteligência as câmeras para transformar cidades em cidades + inteligentes e seguras!