Com 31 mil habitantes, Palotina no estado do Paraná possui 1 câmera para cada 62 pessoas e registra recorde na queda da criminalidade.

A pequena cidade, próxima à fronteira com o Paraguai, buscava por soluções efetivas que pudessem oferecer recursos de inteligência aos órgãos de segurança pública do município.

O objetivo era obter melhores resultados com um número reduzido de policiamento, fazendo mais com menos.

Em 2018, da soma de forças entre a comunidade, o conselho de segurança e a Camerite surgiu o projeto Cidade Segura.

Palotina entre as cidades mais monitoradas da América Latina

Com a plataforma da Camerite, tornou-se possível conectar câmeras de segurança à internet, armazenar as imagens online e acessar as gravações de todas as câmeras em um só lugar.

Com essa tecnologia, a própria população passou a compartilhar suas câmeras — residenciais e comerciais — para que os órgãos de segurança pública tivessem acesso.

Além das câmeras doadas pela população, a prefeitura investiu em uma central e em torres de monitoramento com recurso de leitura de placas.

Torre de Monitoramento Ostensivo Camerite em Palotina: além das câmeras, a torre possui leitura de placas e  botão de alerta para emergências.

Hoje, quando alguém registra uma queixa, o agente na central de monitoramento repassa a situação para o policial militar em campo — que também tem acesso às câmeras através de um aplicativo para smartphone — e verifica a situação em tempo real.

O resultado, segundo os dados apresentados pela Polícia Militar, no comparativo do primeiro trimestre de 2019 e 2020, foi uma redução de 81% nos roubos e furtos na região, enquanto as apreensões de tráfico de drogas cresceram 100%.

Antes do projeto Cidade Segura, não havia nenhuma câmera compartilhada com as forças de segurança. Atualmente, a região possui mais de 500 câmeras, todas compartilhadas com as Polícias Militar, Civil e Federal.

“Desde o momento em que nós instalamos essa plataforma, os índices de criminalidade não caíram, eles despencaram. Agora as polícias militar, civil e federal podem monitorar instantaneamente cada uma dessas 500 câmeras.”
Jucenir Stentzler, prefeito da cidade de Palotina/PR

Com 31 mil habitantes, Palotina é agora uma das cidades mais monitoradas da América Latina, com 1 câmera a cada 62 pessoas.

O Brasil entre os países mais monitorados do mundo até 2023

Tendo em vista o exemplo de Palotina e o extraordinário resultado na região, a Camerite tem como objetivo colocar o Brasil entre os países mais monitorados do mundo até 2023.

“Sabemos que é preciso estar muito próximo dos municípios, entendendo as dificuldades e problemas enfrentados na segurança pública. Conversamos com mais de 2 mil municípios nos últimos 5 anos e decidimos entregar todas as ferramentas necessárias para que nossos franqueados possam fazer a diferença em suas regiões, auxiliando os municípios a entregarem mais segurança para a população de forma inteligente, e com custo até 7 a 8 vezes menor do que com soluções tradicionais”.
Cristian Aquino, Ceo e Fundador da Camerite.

Cristian Aquino, CEO e fundador da Camerite: startup que democratizará a segurança no Brasil.

Identificando rotas com Inteligência Artificial

Entre as ferramentas mencionadas pelo CEO, está o Cortex.

O recurso possui filtros que permitem buscar veículos por marca, modelo e cor. Os resultados equivalentes são encontrados nas gravações das câmeras em poucos minutos.

A inteligência artificial ainda simula a possível rota do suspeito, aumentando assim as chances de flagrante.

Reconhecimento facial

Outra grande estrela da plataforma Camerite é o recurso de reconhecimento facial.

 A tecnologia foi testada recentemente pelo governo do estado de São Paulo, no carnaval deste ano.

Cinquenta drones e outras diversas câmeras de segurança com o sistema de reconhecimento facial Camerite acompanharam os principais blocos que circulavam no feriado.

A plataforma estava conectado a uma base de fotos com mais de 30 milhões de faces, dos quais 38 mil eram suspeitos de crimes, foragidos e pessoas desaparecidas.

Durante todo o feriado mais de 160 mil rostos foram identificados e mais de 800 alertas de suspeitos foram emitidos.

Reconhecimento Facial: simulação mostra em tempo real pessoas detectadas pelas câmeras.

Depois da ação bem sucedida no carnaval, a expectativa é otimizar a operação para eventos semelhantes.

“Esse sistema irá funcionar em outros eventos e situações onde houver aglomerado de pessoas”
Caetano Paulo Filho, Dir. do Depto. de Inteligência da Polícia Civil ao Portal G1.

Assim como Palotina, vários outros municípios do Brasil já atuam com a tecnologia Camerite, como o projeto City Câmeras em São Paulo e São Gabriel + Segura, no Rio Grande do Sul.

Para mais detalhes sobre nossos serviços e projetos, acesse nosso site aqui.

Escrito por Camerite

Acreditamos que a tecnologia vai revolucionar o mundo, e através dela adicionamos inteligência as câmeras para transformar cidades em cidades + inteligentes e seguras!

Deixe seu comentário!